Impermeabilização: Tudo O Que Você Precisa Saber Sobre o Assunto

Antonio Neves
Escrito por
Antonio Neves
Publicado em
7/9/2020
Atualizado em
20/4/2021
Impermeabilização: Tudo O Que Você Precisa Saber Sobre o Assunto

Quando falamos em problemas em obras, você há de concordar que infiltração aparece na maioria dos casos, não é? Seja qual for a manifestação patológica, pode ter certeza que há falha de impermeabilização envolvida.

Pode parecer exagero, mas, muitas vezes, quando surge algum problema na obra e tentamos entender sua causa, é comum verificarmos que se tivesse sido realizada uma impermeabilização correta, todo o transtorno poderia ter sido evitado! Nem sempre é dado o devido valor para a real importância da impermeabilização, mas garanto que se ler este artigo até o final vai entender do que estamos falando!

Nós, que trabalhamos na área da construção civil há anos, notamos que muitas das manifestações patológicas que surgem em edificações têm sua origem em uma falha na impermeabilização. Muitas vezes, as pessoas subestimam a capacidade da água fazer estragos enormes nas construções e acabam tomando atitude apenas quando acontece algo muito grave.

E na maioria das vezes, o custo de reparo é alto e nem sempre reversível. Por isso, sempre dizemos que o melhor a se fazer, sem dúvida, é impermeabilizar toda a obra da maneira correta além de realizar as manutenções periódicas. Por isso, já te digo de antemão que não vale a pena economizar em impermeabilização, combinado?

Para você ter noção do quão importante é realizar a impermeabilização da maneira certa, na hora ideal e com o produto adequado, vamos começar do zero e com informações que você, provavelmente, já está cansado de saber, mas fique tranquilo, que ao longo do texto, vamos introduzir assuntos inéditos e essenciais para garantir uma construção com qualidade e resistente.

Quanto aos problemas que uma falha de impermeabilização pode causar, são muitos e falamos de alguns deles em outros artigos que fizemos e que você pode acessar aqui no nosso blog! Quer dar uma olhada? Navegue pelos artigos para encontrar o tema específico que você precisa! Hoje, vamos fazer o mais completo artigo sobre impermeabilização! Quer entender tudo sobre o assunto? Então, venha com a gente!

A impermeabilização, como já dissemos, é uma das etapas mais importantes da construção civil, mas é deixada de lado, muitas vezes, seja por motivos de contenção de gastos seja por desinformação. Se feita da forma correta, ela evita o aparecimentos de manifestações patológicas, sendo elas as mais variadas possíveis, variando desde uma mancha até problemas estruturais graves. Além disso, os problemas com infiltração de água propiciam ambientes insalubres e com aparência desagradável. Por isso, estamos aqui hoje, disponibilizando este artigo para que você entenda por que não vale a pena economizar em impermeabilização!

Então, vamos começar pelos assuntos mais básicos sobre impermeabilização para que possamos aprofundar neste tema e também abordar as NBR’s que tratam sobre isso. Sempre gostamos de ressaltar a importância de consultar as NBR’s antes de realizar qualquer procedimento uma vez que elas orientam e estabelecem padrões a serem seguidos para que a execução seja feita da maneira correta, garantindo qualidade para a obra.

Pretendemos esgotar as dúvidas mais comuns e divulgar informações que muitas vezes ficam restritas apenas aos profissionais da área. Nós da Blok, com a missão de inovar constantemente, resolvemos criar esse artigo com o intuito de disseminar informação e trazer conhecimento útil para que possa ser aplicado por um número maior de pessoas, contribuindo para a evolução do mercado da construção civil! Está pronto? Vamos, lá!

argamassa polimérica flexível estruturada
Blok ST
Resina Impermeabilizante para Argamassa Polimérica Flexível Estruturada
CONHEçA AGORA
[Livro Gratuito] Impermeabilização Por Pressão Negativa e Positiva
MATERIAL GRATUITO

[Livro Gratuito] Impermeabilização Por Pressão Negativa e Positiva

baixe grátis

O que é impermeabilização?

Se neste artigo pretendemos esgotar o tema impermeabilização, precisamos saber responder a pergunta mais básica sobre o assunto: o que é impermeabilização? De modo geral, podemos entender a impermeabilização como sendo um processo de aplicação de produtos específicos sobre superfícies que estão sujeitas às intempéries climáticas, especialmente à água.

Basicamente, o objetivo principal da impermeabilização é protegê-las contra a ação nociva da água, que pode gerar inúmeras manifestações patológicas através de infiltrações, como manchas, bolores e problemas mais graves.

Deu pra entender? Para ficar ainda mais claro, podemos definir impermeabilização como sendo um procedimento realizado por meio da aplicação de produtos com o objetivo de selar, vedar ou colmatar materiais porosos e suas possíveis falhas. Sua aplicação pode ser feita com diversos tipos de produtos, sempre respeitando as particularidades de cada material e superfície onde será aplicado.

Por exemplo, deve-se considerar o tipo do material assim como qual a forma de contato da superfície com a água e quanto exposta ela está. Enfim, são inúmeras as variáveis que devem ser levadas em conta a fim de proteger a superfície em questão quando for escolher o produto impermeabilizante!

A impermeabilização não só é essencial porque protege toda a superfície de problemas estéticos como estufamento de pintura, manchas  e fungos, mas também é responsável por formar uma camada protetora a fim de evitar problemas estruturais mais graves, como a própria degradação da estrutura por corrosão da armadura e até mesmo impede o surgimento de trincas e fissuras, que podem também contribuir para a deterioração de toda a construção.

É importante falar que a o aparecimento de mofo e fungos é proveniente da umidade e, além de interferir no acabamento das superfícies, afeta a saúde das pessoas que habitam ou frequentam o local. Por isso, a impermeabilização é um processo que está totalmente ligado a questões estéticas, estruturais e até a saúde das pessoas!

Assim, ao impermeabilizar toda a construção da forma correta e utilizando os produtos certos para cada área, você mantém os ambientes conservados, assegurando a integridade da estrutura ao mesmo tempo que proporciona um ambiente saudável para as pessoas que frequentam!

Pra que serve a impermeabilização na construção civil?

A construção civil engloba a confecção de obras dos mais variados tipos como casas, edifícios, pontes, barragens, estradas, aeroportos e tantos outros tipos de construções que vemos por aí. Para fazer uma obra, são necessárias diversas etapas desde o projeto até o acabamento, passando por tantas outras. E uma delas é a impermeabilização, uma etapa da construção civil muito importante e que, às vezes, é deixada de lado por motivos de contenção de gastos ou até mesmo desinformação dos profissionais responsáveis pela obra.

Mas, é inevitável o surgimento de manifestações patológicas se a impermeabilização não for feita da maneira correta. Por isso, estamos aqui hoje: para que não restem dúvidas sobre a importância da impermeabilização nas obras.  

Quando falamos em qualidade de obra, o processo de impermeabilização tem um papel importantíssimo uma vez que se realizada da maneira adequada, a construção contará com mais durabilidade, resistência e menos dor de cabeça. Pense comigo: se durante a obra, você realiza todos os procedimentos necessários para impermeabilizar, com certeza, as chances de surgir problemas com infiltração e umidade são muito menores. E nada melhor que evitar problemas que dão para ser prevenidos, não é mesmo?

Mas, afinal, para que serve a impermeabilização na construção civil? Como já dissemos e vamos falar várias vezes aqui neste artigo, a impermeabilização é uma das etapas do processo de execução de uma obra, responsável por proteger toda a estrutura contra a ação da água por meio da aplicação de produtos específicos. Basicamente, ao impermeabilizar toda a edificação, você terá uma construção de qualidade, com mais resistência e durabilidade, prolongando o tempo de degradação.

Obviamente, toda construção irá deteriorar com o passar dos anos, porém, se feito todo o processo de impermeabilização durante a execução da obra, as manutenções periódicas tornam-se mais espaçadas e simples! Não há dúvidas que vale a pena!

Assim, resumindo, podemos entender que um sistema de impermeabilização na construção é imprescindível para a segurança e qualidade da obra, além de tornar os ambientes salubres e adequados visando à prevenção de doenças respiratórias para as pessoas que frequentam o local. As consequências trazidas por infiltrações, muitas vezes, são irreversíveis à estrutura, sem contar nos prejuízos financeiros e desgastes emocionais. Por isso, nós dizemos: dê a devida importância para a impermeabilização durante a execução da obra, porque depois pode ser tarde demais!

Agora, vamos entender mais sobre como os produtos agem durante esse processo de impermeabilização, isto é, como funciona o impermeabilizante.

Como funciona o impermeabilizante?

Como já dissemos aqui, o impermeabilizante tem papel de proteger a superfície dos efeitos nocivos que a água traz, quando em contato com os substratos. Assim, podemos dizer que o impermeabilizante funciona como uma camada protetora que impede a passagem de água, evitando, assim, o surgimento de manifestações patológicas.

Sabemos que a água possui uma capacidade enorme de percolação e infiltração em qualquer situação e na construção civil não é diferente. A água pode infiltrar de maneira descendente, como é o caso da gravidade ou ascendente, por capilaridade. Além disso, ela pode exercer pressões positivas ou negativas sobre as superfícies, se infiltrando quando há alguma abertura ou até mesmo percolando pelos poros dos materiais. Assim, não podemos subestimar, de forma alguma, a capacidade que a água tem de se infiltrar nas estruturas e, por isso, o impermeabilizante age neste sentido: protegendo as superfícies e a estrutura ao formar um caminho seguro quando em contato com a água, evitando que ela cause danos aos materiais.

Existem inúmeros tipos de impermeabilizantes e, para escolher o certo para o que você precisa, é necessário levar em consideração todas as especificidades do local onde será aplicado. Por isso, antes de mais nada, consultar um profissional da área é sempre uma boa ideia, pois ele, ao entender a situação, conseguirá indicar qual o melhor impermeabilizante para o seu caso! Deve-se entender qual material da superfície, qual a forma de exposição à água e outras tantas particularidades importantes para que a escolha do produto seja adequada!

Então, para resumir e ficar ainda mais claro, de modo geral, um impermeabilizante proporciona para a superfície onde é aplicado uma proteção contra o ataque da umidade e previne que haja infiltração de água, garantindo durabilidade, estabilidade e segurança para a obra.

Por isso, hoje, vamos explicar como os impermeabilizantes são classificados e qual tipo é melhor para cada área a ser aplicada. Assim, quando for fazer a impermeabilização de sua casa ou qualquer construção, já terá uma noção do que precisa!

Qual a função do impermeabilizante?

A função do impermeabilizante é formar uma camada protetora contra os efeitos nocivos da água para a superfície onde for aplicado, evitando o ataque da umidade e prevenindo infiltrações que podem prejudicar toda a estrutura. Com o impermeabilizante adequado, você garante uma construção com qualidade, durabilidade e segurança.

Por que impermeabilizar?

Agora que fizemos uma introdução e você, com certeza, já entendeu o que é e para que serve o impermeabilizante na construção civil, vamos aprofundar um pouco o tema.

Você já se perguntou por que é importante impermeabilizar? Você deve saber que a impermeabilização é uma etapa bem importante quando falamos em construção de qualquer obra, mas será que entende, de fato, por que impermeabilizar? Este tópico explica isso e agora, tenho certeza, que você não deixará passar qualquer obra sem fazer a impermeabilização correta! Quer entender melhor do que estamos falando? Então, vamos, lá!

Como já falamos, a impermeabilização nem sempre é tratada com a devida importância durante o processo de execução de qualquer obra, sendo apenas lembrada quando os problemas com infiltração aparecem, não é mesmo? Seja por contenção de gastos, seja por desinformação, a impermeabilização não é realizada, mas sabemos que é um processo que deve ser priorizado sempre para garantir qualidade para a obra!

Quando descobertos logo nos primeiros estágios de desenvolvimento das obras, os problemas associados a impermeabilização podem ser identificados e eliminados muito mais facilmente. O que ocorre, geralmente, é dar atenção aos problemas de impermeabilização somente no final da obra ou até mesmo depois de finalizada. Aí pode ser tarde demais e o custo para reparo muito alto. Por isso, é importante realizar a impermeabilização logo no começo da obra para evitar enormes transtornos. Muitas vezes, os danos são irreversíveis. E é essa a resposta para a pergunta que pretendemos responder neste tópico: Por que impermeabilizar? E a resposta é: não vale a pena, em nenhum sentido! Vamos explicar…

Sabemos que um sistema de impermeabilização em qualquer construção é fundamental para garantir a segurança da edificação além de tornar os ambientes salubres e mais adequados para o ser humano. A água traz consigo agentes que causam danos, muitas vezes irreversíveis, para a estrutura além de prejuízos financeiros, principalmente quando exige recuperação da estrutura.

Em termos práticos, é fácil de entender. Já existe um cálculo muito interessante que relaciona os custos de reparo referentes às manifestações patológicas originadas de falha de impermeabilização com os custos de se fazer a impermeabilização logo no início da obra e, adivinhe qual foi o resultado? Como já era o esperado, os custos que envolvem o reparo decorrente de falhas de impermeabilização podem ser até quinze vezes maiores do que se fosse previsto no projeto e executado durante a obra como medida de prevenção!

Não é novidade para ninguém que a vida útil de uma construção está diretamente ligada a um sistema de impermeabilização eficiente. E, para você ter uma ideia, a própria execução da impermeabilização nas primeiras etapas da obra é mais fácil e econômica quando comparada com a execução depois de concluída. E tem mais: o custo para  aplicar um sistema de impermeabilização em uma edificação, considerando projeto, consultoria, fiscalização, execução e materiais, representa apenas de 1 a 3% do custo total da obra. Por isso que falamos que não compensa deixar passar a impermeabilização por contenção de gastos!

E não é só isso! A re-impermeabilização pode representar até 25% do custo total da obra, incluindo todos os custos diretos e indiretos, além do desgaste emocional. Assim, podemos chegar a conclusão que quando se trata de impermeabilização, o custo benefício de realizar uma impermeabilização no início da obra compensa, não só para evitar transtornos, mas com para um melhor aproveitamento dos recursos financeiros.

Por isso, ao implantar um sistema de impermeabilização, com produtos qualificados e serviços adequados, os custos de todo o processo atingem por volta de 2% do valor total da obra, enquanto que se for realizado apenas depois de constatados problemas com infiltrações na construção já concluída, os custos superam em muito esse valor, podendo chegar até 10% do custo total da obra.

Tentamos trazer em termos percentuais para que você consiga visualizar o porquê de implantar um sistema de impermeabilização logo nas primeiras etapas de uma obra. Além de comparar os custos e prejuízos financeiros, precisamos pôr na balança outras formas de prejuízo, que também pesam bastante, como os desgastes emocionais, tensões e angústias que geram uma perda de qualidade de vida.

Assim, quando for decidir sobre o processo de impermeabilização para sua obra, analise todos os custos-benefícios, mas com certeza, depois do que explicamos aqui, você verá que vale a pena despender parte dos recursos financeiros que possui para realizar um sistema de impermeabilização eficiente. Até porque, você sabia que 85% dos problemas em edificações vêm de infiltrações? Por isso, a impermeabilização é fundamental quando falamos em qualidade e segurança de edificações!

Agora que conseguimos responder a pergunta do porquê impermeabilizar, vamos entender como se dá o processo. Está preparado? Então, venha comigo!

Como funciona o processo de impermeabilização?

Chegou a hora de entender como se dá o processo de impermeabilização, isto é, qual é o passo a passo, com as principais etapas da aplicação dos produtos impermeabilizantes.

Existe uma infinidade de produtos que têm a função de agir como impermeabilizante mas, você precisa levar em consideração algumas variáveis para fazer a escolha certa. Com ajuda profissional, você optará por um produto, que contenha os padrões de qualidade e segurança, além de considerar todas as especificidades do material que receberá o produto, inclusive a exposição da superfície à água. Assim, depois de escolher o produto, você deve seguir as instruções do fabricante para a correta manipulação e execução.

É fato que o modo de execução varia de produto para produto, mas o procedimento é basicamente o mesmo e é isso que vamos trazer neste tópico!

De modo geral, antes de qualquer aplicação do impermeabilizante, é necessário que seja realizada a limpeza da superfície, eliminando todas as impurezas e sujidades.

Depois de preparar a superfície e seguindo as orientações do fabricante para preparação do produto, ele é aplicado e deve-se respeitar os tempos de cura e secagem para as próximas demãos. Após a aplicação, recomenda-se proceder um teste de estanqueidade, mantendo uma lâmina de água no local por, no mínimo, 72 horas e observar se há algum vazamento.

Sempre ressaltamos que é importante para realizar todo o processo de impermeabilização contar com um equipe profissional para garantir que o serviço seja feito da maneira correta.

Então, vamos às etapas. Antes de mais nada, precisamos entender que para a execução de uma construção, é necessário a elaboração de diversos projetos. Podemos citar alguns, como os projetos de estrutura, instalação e arquitetura. Mas, há, também, um projeto importantíssimo para qualquer obra, que é o projeto de impermeabilização, complementar aos outros mas é nele que contém todos os detalhes.

Com o projeto em mãos, a próxima etapa é a escolha de materiais, como os produtos e os equipamentos necessários para a execução. Logo em seguida, pode-se ir para a etapa de execução, que envolve as seguintes etapas: preparação da superfície, aplicação do produto e teste de estanqueidade. Vamos entender mais sobre cada uma delas?

1) Projeto de Impermeabilização

Um projeto de impermeabilização nada mais é que uma avaliação de todas as interferências construtivas como tipo de edificação, movimentações estruturais, finalidades de cada área e segurança dos trabalhadores. A partir dessa análise, é possível obter maior eficiência no processo uma vez que a escolha dos materiais e dos sistemas serão escolhidos de acordo com as características da construção.

Quando falamos sobre o próprio processo de impermeabilização, temos as normas técnicas que direcionam a execução do procedimento. As principais normas que tratam sobre o projeto de impermeabilização são: NBR 9575 – Impermeabilização: Seleção e Projeto e a NBR 9574 – Execução de impermeabilização, que compõem um manual descritivo, com detalhes de especificações dos materiais e serviços a serem realizados. Isto é, elas servem para estabelecer critérios e determinações que devem ser seguidas para que a execução seja realizada da melhor forma possível, evitando problemas.

A NBR 9575 indica que o projeto de impermeabilização deva ser elaborado por um profissional que possua qualificação para exercer esta responsabilidade técnica e deve ser legalmente habilitado pelo CREA (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia). Para que a impermeabilização seja iniciada, é necessário que o projeto tenha sido entregue ao responsável pela obra e que esta esteja com o local onde será executada a impermeabilização liberado e preparado para início dos serviços.

Esta norma determina alguns requisitos gerais que devem ser considerados para a execução do projeto de impermeabilização. Em primeiro lugar, a impermeabilização deve ser projetada de modo a:

  • evitar a passagem de fluidos e vapores nas construções, pelas partes que requeiram estanqueidade, podendo ser integrados ou não outros sistemas construtivos, desde que observadas normas específicas de desempenho que proporcionem as mesmas condições de estanqueidade;
  • proteger os elementos e componentes construtivos que estejam expostos ao intemperismo, contra a ação de agentes agressivos presentes na atmosfera;
  • proteger o meio ambiente de agentes contaminantes por meio da utilização de sistemas de impermeabilização;
  • possibilitar sempre que possível acesso à impermeabilização, com o mínimo de intervenção nos revestimentos sobrepostos a ela, de modo a ser evitada, tão logo sejam percebidas falhas do sistema impermeável, a degradação das estruturas e componentes construtivos.

Além de formular um projeto analisando todos esses objetivos do processo de impermeabilização, é necessário que seja desenvolvido, também, em conjunto e compatibilizado com os demais projetos de construção, como de arquitetura, estrutural, hidráulico-sanitário, elétrico, gás, revestimentos e tantos outros. Assim, com todos os detalhes construtivos, o projeto de impermeabilização contará com todas as especificações da obra e, portanto, diminuindo as chances de falhas, garantindo um sistema de impermeabilização eficiente.

Assim, conseguimos concluir que fazer um projeto de impermeabilização é uma etapa bastante importante, pois ao analisar cada estrutura, levantar suas especificações e planejar cada detalhe, o projeto garantirá a melhor estratégia em cada local, trazendo maior proteção, um excelente custo-benefício e alta durabilidade para a obra. Portanto, o mapeamento de todos os detalhes da obra é essencial para um projeto bem feito, que resultará em um sistema de impermeabilização mais eficiente para a construção.

2) Escolha de materiais

Você há de concordar que de nada adianta um projeto de impermeabilização bem feito, contendo todos os detalhes e planejamento se escolher produtos de má qualidade ou que não são próprios para aquilo que você quer, não é?

A escolha de materiais é uma etapa de todo o processo de impermeabilização que pesa bastante. Por isso, vamos tratar desse assunto neste tópico!

Bom, em primeiro lugar, você precisa escolher produtos que possuem os padrões de segurança e qualidade, produzidos por indústrias idôneas e que respeitem seus clientes. A Blok é uma empresa que valoriza seus clientes e tem know-how quando o assunto é impermeabilização. Por isso, você precisa conhecer nossos produtos para saber o que é qualidade e segurança! Tenho certeza que você irá se surpreender ao contar com todas as soluções que oferecemos! Enfim, pesquise por profissionais bons e que atuam na área há algum tempo. Pode parecer simples escolher um produto para utilizar na sua obra, mas saiba que escolher errado pode fazer toda a diferença!

Já pensou que se escolher um produto com baixa qualidade poderá levar todo seu projeto de impermeabilização por água abaixo? Não vale a pena pagar menos para ter problemas a mais! E, muitas vezes, produtos não tão baratos podem não ser tão bons quanto parecem. Por isso, dê a devida importância para a escolha dos materiais, consulte profissionais da área e opte pelas melhores opções do mercado! Isto fará toda a diferença no resultado final da construção bem como poderá garantir mais qualidade e durabilidade.

A Blok está aqui para isso: oferecer os melhores produtos do mercado, com altíssima qualidade! Dê uma olhada no nosso site para entender do que estou falando. Ao utilizar um produto nosso, garanto que não irá se arrepender e se surpreenderá com os resultados! Mas, você só saberá isso se conferir, então fale com a gente para que possamos te ajudar!

Mas, mais do que isso, escolher o fabricante do produto não é suficiente para que obtenha uma impermeabilização perfeita na sua obra! Você pode sim escolher um produto de uma indústria idônea, mas será que escolheu o produto certo para a área onde será aplicado? Já dissemos inúmeras vezes aqui e insistimos em falar que para escolher o produto certo, você precisa considerar algumas variáveis, como o tipo de material que receberá o produto, porosidade, grau de exposição ao sol e à água e onde está localizado. Por isso, se for comprar um produto em alguma loja de material de construção, tome muito cuidado, porque a chance de optar pelo produto errado é muito alta. Assim, é importante consultar profissionais que atuam na área e possuem experiência para fazer a devida orientação.

A Blok é uma empresa que está disposta a encontrar a solução para o seu problema! Nós possuimos experiência no assunto e, ao explicar sua situação, garanto que vamos dar a melhor opção do mercado! Por isso, conte conosco e garanta mais qualidade para suas obras!

Depois de escolher os produtos que serão utilizados na execução da impermeabilização, você precisa selecionar os materiais que serão necessários para a aplicação. Esses materiais podem variar conforme o tipo do produto, podendo ser rolos de pinturas, trinchas, pincéis, maçarico, enfim, vai depender de como será feita a impermeabilização.

Além dos produtos e materiais, você precisa selecionar os EPI’s necessários para proteger os trabalhadores e evitar acidentes, certo?  

Resumindo tudo o que falamos aqui neste tópico, não basta escolher um produto de qualidade, é necessário escolher o produto certo para aquilo que você precisa! Se você conseguiu entender sobre o projeto e sobre a escolha dos produtos, já está preparado para começarmos o próprio processo de execução da impermeabilização.

3) Execução

Podemos entender a execução da impermeabilização em três etapas: preparação da superfície, aplicação do produto e teste de estanqueidade. Vamos explicar cada uma delas. Ao realizá-las corretamente, você terá uma superfície protegida contra a ação da água, muito mais resistente!

3.1) Preparação da Superfície

A primeira etapa da execução da impermeabilização consiste em preparar a superfície, isto é, eliminar sujeiras e regularizar toda sua extensão. A limpeza deve ser feita para retirar quaisquer sujidades da superfície a fim de deixá-la pronta para receber o produto. A regularização é importante à medida que elimina pontos falhos, contribuindo para uma melhor aderência do produto.

A preparação da superfície é fundamental para que haja melhor aderência do produto ao substrato, proporcionando uma impermeabilização mais eficaz e uma proteção ainda maior!

Assim, deve-se realizar uma boa limpeza, conforme as orientações da NBR 7200, seguindo todos os procedimentos elencados pela norma. Vamos entender cada passo.

Primeiramente, a base a ser impermeabilizada deve estar limpa, livre de pó, graxa, óleo, eflorescência, materiais soltos ou quaisquer produtos ou incrustações que venham prejudicar a aderência do produto.

Segundo a norma, a lavagem pode ser executada de acordo com os seguintes procedimentos:

  • para a remoção de sujeiras, pó e materiais soltos: escovar e lavar a superfície ou aplicar jato d'água sob pressão; quando necessário, deve ser empregada espátula, escova de cerdas de aço ou jato de areia;
  • para remoção de óleo desmoldante, graxa e outros contaminantes gordurosos, pode-se efetuar a limpeza com soluções alcalinas ou ácidas;
  • para remover eflorescências: pode-se escovar a seco a superfície com escova de cerdas de aço e proceder a limpeza com solução de ácido muriático. Caso a manifestação atinja grandes áreas, pode-se empregar jateamento de areia;
  • para remover bolor e fungos: pode-se escovar a superfície com escova de cerdas duras com solução de fosfato trissódico ou com solução de hipoclorito de sódio e enxaguar com água limpa em abundância.

Depois de realizados todos estes procedimentos, deve-se esperar a completa secagem da base para se prosseguir com a aplicação do impermeabilizante.

A regularização da superfície consiste em deixar a superfície adequada para o recebimento do sistema de impermeabilização, detectando pontos falhos de concretagem, grauteamento de tubos elementos transpassantes à superfície e, aplicando, assim, argamassa específica para a uniformização de todo o substrato. Importante ressaltar que deve-se manter uma declividade na superfície de, no mínimo 1%, para que a água não acumule e consiga ser escoada.

Feita a preparação da superfície e estando ela limpa e regularizada, é hora da aplicação do produto. Vamos entender como se dá esta etapa.

3.2) Aplicação do Produto

A aplicação do produto varia muito conforme o tipo do produto e ela é definida pelo fabricante. Vamos abordar mais pra frente todos os tipos de impermeabilizantes que existem no mercado e lá, poderemos falar mais sobre as formas de aplicação de cada um deles.

Como um produto difere muito um do outro, não cabe aqui relacionarmos todas as formas de aplicação, pois faremos isso mais adiante. Se quiser pular para lá, fique a vontade. Caso queira aprender um pouco mais sobre outros assuntos, continue aqui conosco!

Mas, o que podemos falar sobre a aplicação de impermeabilizantes nas superfícies é que ela é baseada no projeto, de acordo com os detalhes específicos da construção que foram levantados durante sua execução e, assim, deve-se aplicar o sistema impermeabilizante conforme já havia sido estabelecido, sempre respeitando todas as orientações do fabricante.

3.3) Teste de Estanqueidade

Depois de aplicado o produto impermeabilizante, é necessário esperar o tempo de cura especificado pelo fabricante e só depois deve-se realizar o teste de estanqueidade para comprovar a eficiência da impermeabilização. 

Assim, de acordo com a NBR 9574, após a execução da impermeabilização, recomenda-se ser efetuado ensaio de estanqueidade com água limpa, com duração mínima de 72 horas para verificação de falhas na execução do tipo de impermeabilização utilizado. Se, após esse período, não houver sinais de infiltração, pode-se entender que o sistema de impermeabilização foi eficiente.

Aqui, explicamos como deve ser feito todo o processo de impermeabilização, começando pela execução do projeto, contendo todos os detalhes da edificação bem como o planejamento de como deverá ser feito, considerando as especificidades da construção. Depois, deve-se dar o processo de escolha de materiais, devendo-se optar sempre por produtos de qualidade e adequados para a finalidade desejada. Só após essas etapas, é que se dá a execução da impermeabilização, passando pela preparação da superfície, promovendo sua limpeza e regularização para um perfeita aderência e desempenho do impermeabilizante.

Depois, faz-se a aplicação do produto, levando em conta as orientações do fabricante e após o tempo de cura, deve-se comprovar a eficiência do sistema através do teste de estanqueidade. 

Agora que você já sabe de todas as etapas do processo e a importância de cada uma delas, é necessário segui-las corretamente para que obtenha um resultado acima do esperado! Realizar um sistema de impermeabilização eficiente contribui para aumentar o tempo de vida de uma obra assim como evita muitos problemas que trazem consequências gravíssimas! Por isso, aproveite que você possui acesso a conhecimento e informação para fazer da melhor forma possível, pois te garanto que vale a pena!

Vamos partir para tópicos que são dúvidas de muita gente e, nós, trabalhando com isso há tantos anos, vemos que é essencial sanar todos os questionamentos sobre impermeabilização! Nosso dia a dia é cheio de pessoas com perguntas que são muito simples de responder e entender e, aqui, pretendemos esgotar todas elas! Vamos, lá?

Quanto custa o metro de quadrado de impermeabilização?

Bom, essa é uma pergunta bastante relevante quando falamos em impermeabilização, porque a maioria das pessoas acha que é um gasto desnecessário e acredita que o preço seja muito elevado! Mas, estamos aqui hoje para mostrar que não é bem assim. Em primeiro lugar, impermeabilizar é um gasto extremamente necessário e evita grandes problemas!

Segundo que ser elevado depende muito da referência, isto é, se compararmos o custo de impermeabilizar com o gasto dos reparos quando não feita impermeabilização correta, o valor despendido para realizar o processo logo no início da obra se torna irrelevante! Por isso, falar que impermeabilizar é caro não é verdade! E, além de não ser caro, previne possíveis gastos e transtornos futuros! Então, já sabe, não é? Nada de economizar quando o assunto é impermeabilização, certo?

Mas, afinal, o que queremos responder neste tópico é quanto custa o metro quadrado de impermeabilização. E sabe qual é a resposta? Depende. Depende de vários fatores. O primeiro deles é o custo dos produtos que deverão ser aplicados. Obviamente, a escolha do produtos é uma etapa bastante importante e que deve ser realizada de modo a considerar todas as particularidades do substrato e do objetivo final.

Sobre como fazer a escolha do produto certo para fazer a impermeabilização, já falamos anteriormente aqui neste artigo e, se quiser saber mais sobre isso, releia os tópicos acima. Assim, quando falamos em custo de impermeabilização, o custo dos produtos é o primeiro que deve ser considerado, certo?

O segundo fator envolvido no custo total do processo de impermeabilização é o custo da mão de obra. Contratar uma equipe profissional e com competência técnica é importantíssimo e faz toda a diferença no resultado final. Assim, não só é de fundamental importância a consulta de um profissional especializado para avaliar as condições e traçar um planejamento do processo como é essencial contratar uma equipe que saiba fazer a execução da impermeabilização, isto é, a aplicação do produto com as ferramentas adequadas e seguindo as instruções do fabricante.

O terceiro fator, que muitas vezes, não é contabilizado no custo total do processo de impermeabilização é a preparação da superfície e essa é uma variável que pode oscilar bastante. Por exemplo, se você precisa aplicar um produto em uma superfície cuja argamassa de regularização está muito deteriorada, será necessário regularizar toda ela para que o produto tenha boa aderência ao substrato.

Assim como esse caso, existem tantos outros que podem variar quando falamos em termos de trabalho a ser realizado para obter uma superfície apropriada para aplicação do produto como em questões financeiras. Por isso, é fundamental avaliar cada caso e é muito difícil falar em valores quando se trata de situações diferentes e particulares.

Se você leu até aqui e não está satisfeito com o que encontrou, pois queria um valor aproximado de quanto custa para fazer impermeabilização, te digo que nem sempre uma resposta direta é a correta. Aqui, tentamos te mostrar que o processo de impermeabilização pode ser mais simples e mais barato do que você imagina assim como pode ser muito mais trabalhoso e caro. Por isso, não há regra! Cada caso é um caso e toda a situação deve ser avaliada antes de realizar um processo tão importante para a qualidade final da obra.

Você pode estar pensando que não precisa ser tão complexo assim. Mas, pense que pular essa etapa durante a construção ou realizá-la de qualquer jeito não vai compensar os gastos que podem vir a surgir no futuro! Muitas vezes, o que pode parecer simples, não é e é aí que falamos da importância de contratar profissionais qualificados, com experiência e que vão te ajudar de verdade!

Dar a devida importância para a escolha de produto e material, seleção de profissionais e mão de obra sempre fazem a diferença. Assim, não existe fórmula pronta muito menos valores fixos para o processo de impermeabilização, pois as situações podem ser as mais variadas possíveis, o que torna inviável qualquer tipo de mensuração. Mas, o fato nunca muda: avaliar cada caso, com ajuda profissional, é imprescindível para obter uma impermeabilização eficiente.

Quanto cobrar para impermeabilizar?

Se você é um profissional que presta serviço para impermeabilizar construções e está procurando como calcular o valor para prestar este tipo de serviço nas obras, aqui vão algumas dicas.

Basicamente, você precisa considerar os fatores que citamos no tópico anterior, isto é, o custo dos produtos e materiais, custo da mão de obra e custo de preparação da superfície.

Em relação ao custo dos produtos, você precisará selecionar aqueles que atendem às especificidades do substrato onde será aplicado. Assim, é importante avaliar as condições da superfície, a que tipo de exposição está submetida e o material que é composta.

O custo de mão de obra deve ser calculado baseado no tempo de aplicação, o que pode variar se for só uma pessoa realizando o trabalho ou se você contará com uma equipe especializada.

E, por fim, o custo de preparação de superfície. Talvez esse tipo de trabalho não envolva sua área de atuação, mas é essencial que considere antes de começar a execução do processo.

Portanto, o valor que deve ser cobrado para impermeabilizar depende, principalmente, desses fatores e quem é capaz de defini-lo é o próprio prestador desse tipo de serviço, pois é ele que saberá calcular todos os gastos que envolvem todo o processo de impermeabilização, certo?

Quanto custa uma impermeabilização?

Se você está procurando a resposta de quanto custa uma impermeabilização, já te adianto que não há uma única resposta. Na verdade, a resposta mais correta neste caso é: depende. Depende de algumas variáveis, que explicamos no tópico mais acima: “Quanto custa o metro quadrado de impermeabilização?”. Dê uma lida no que falamos ali para ter uma ideia dos fatores a serem considerados antes de chegarmos em valores.

Quanto tempo dura a impermeabilização?

Depois de selecionados os materiais, produtos, mão de obra e ainda ter realizado a preparação da superfície, o processo de impermeabilização já pode ser executado. Após a aplicação do produto impermeabilizante, a pergunta mais frequente é: quanto tempo vai durar a impermeabilização?

Temos que entender que a impermeabilização pode sofrer diversas influências quando falamos em durabilidade, são elas:

  • Projeto construtivo;
  • Projeto de impermeabilização;
  • Coordenação e compatibilização de projetos;
  • Qualidade da construção;
  • Qualidade da aplicação do material;
  • Fiscalização do preparo da superfície a impermeabilizar;
  • Fiscalização da impermeabilização (regularização, preparo, impermeabilização e proteção)
  • Execução das proteções mecânicas da impermeabilização;
  • Impermeabilização exposta resistente às intempéries “não transitável”
  • Impermeabilização exposta e transitável
  • Nível de manutenção e vistorias periódicas quando exigível
  • Condições de exposição

Portanto, não é muito fácil precisar quanto tempo dura um método de impermeabilização. Porém, algumas medidas são fundamentais para aumentar a durabilidade de um sistema impermeabilizante, como se atentar para a qualidade da construção e do processo de execução da impermeabilização. Ainda assim, é possível verificar diversas técnicas, para casos específicos, que influenciam nessa questão.

Assim, para que o sistema impermeabilizante apresente maior durabilidade, além de levar em conta os tópicos acima, é importante evitar alguns desses pontos, principalmente: escolher o sistema impermeabilizante errado ou de má qualidade, variações climáticas intensas, mão de obra de baixa qualidade e presença de lâmina de água na superfície.  

Então, é sempre recomendado usar de todos os meios para aumentar a durabilidade do sistema impermeabilizante para que assim se estenda o prazo para a sua manutenção, certo?

Quando passar impermeabilizante?

Depois de tudo o que falamos até aqui, você já deve ter sacado qual é a resposta para esta pergunta, mas, ainda assim, vamos te dizer qual é a melhor hora para passar o impermeabilizante. Basicamente, o impermeabilizante deve ser aplicado o quanto antes, isto é, durante a execução da obra e depois de preparada a superfície para receber o produto.

Já falamos aqui e todos nós sabemos que nem sempre o processo de impermeabilização é realizado durante as fases da obra e aí é que mora o problema: depois, pode ser tarde demais e o transtorno gerado pela falha de impermeabilização é enorme, pois, além dos gastos, os danos na construção podem ser irreversíveis. Por isso, insistimos em dizer que incluir o processo de impermeabilização no planejamento de qualquer obra é essencial.

Mas, caso você pule esta etapa durante a execução da obra, saiba que ainda assim é possível aplicar um sistema impermeabilizante depois de concluída a obra ou quando aparecerem as manifestações patológicas. O importante é aplicar o impermeabilizante indicado para cada caso! E sempre priorizando as medidas preventivas do que as corretivas, certo?

Quais são os tipos de impermeabilização?

Agora, vamos falar de outro assunto bastante importante e que pode trazer certa confusão quando falamos em tipos de impermeabilização. Bom, neste tópico, vamos saber quais são eles e qual tipo é indicada para cada área, certo?

A impermeabilização é classificada em dois tipos: a rígida e a flexível. A escolha por qual sistema utilizar varia conforme as especificidades da superfície onde será aplicado, isto é, depende completamente das características da estrutura e material do substrato. Então, não existe sistema melhor do que outro, sendo imprescindível elaborar um projeto de impermeabilização depois de fazer uma avaliação profissional do local que receberá o produto. Assim, ao elaborar um projeto de impermeabilização, será levado em consideração todas essas variáveis que determinarão qual o melhor impermeabilizante para cada área.

Mas, qual a diferença entre os dois sistemas? Os sistemas são classificados em rígidos ou flexíveis de acordo com a possibilidade das partes construtivas sofrerem algum tipo de fissuração.

A impermeabilização rígida é realizada através de aplicação de aditivos químicos nas argamassas ou sob a forma de membranas acrílicas rígidas. Como o impermeabilizante rígido não funciona em conjunto com os elementos estruturais, não é indicado para estruturas submetidas a grandes movimentações ou expostas ao estresse mecânico, causado por vibrações intensas ou impactos constantes. Portanto, é fundamental avaliar o quanto a estrutura está exposta a variações de temperatura ou sujeita às fissuras. Seu uso é indicado para áreas como vigas baldrame, rodapé de parede, contrapiso...

Já a impermeabilização flexível, pelo contrário, utiliza impermeabilizantes com propriedades mais elásticas (materiais constituídos de polímero e elastômero, formando membranas ou mantas pré-fabricadas), assim, podem se conformar com a estrutura durante a movimentação e evitar o surgimento de trincas e fissuras. Portanto, a impermeabilização flexível é indicada para locais sujeitos à variação de temperatura, (como varandas, lajes, terraços, coberturas), sendo seu uso mais comum em piscinas.

Ainda podemos citar o sistema de impermeabilização semi flexível, um novo conceito que surgiu nos últimos anos, porém não foi incluído nas normas técnicas brasileiras, por enquanto. Por isso, é preciso se atentar a essa nova classificação ao elaborar o projeto de impermeabilização. Afinal, no que consiste a impermeabilização semi flexível? Nada mais é que um sistema que apresenta características intermediárias entre o rígido e o flexível, porém com algumas limitações, como baixa resistência mecânica e pouca resistência à dilatação térmica.

O sistema semi flexível é constituído por um material bicomponente (argamassa polimérica), composto por um pó mais um líquido, que ao serem misturados, forma-se uma argamassa de fácil aplicação. Por ser uma nova classificação de impermeabilização, deve-se analisar com mais cuidado cada situação e entender se seu uso é apropriado.

Quais são os principais sistemas de impermeabilização?

Aqui, vamos elencar alguns dos principais sistemas de impermeabilização, embora existam muitos outros. Se quiser conhecer todos os tipos, a NBR 9575 cita todos eles, basta consultá-la!

Os principais sistemas de impermeabilização são:

  1. Membrana de Poliuretano: sua aplicação é simples, pois não necessita de fonte de calor além de apresentar alta resistência mecânica, térmica e química. Assim, sua indicação é para impermeabilização de lajes;
  2. Membrana Acrílica: pode ser aplicada direto na construção a frio e em forma de emulsão. É indicado para quaisquer revestimentos de pressões hidrostáticas positivas.
  3. Emulsão Asfáltica: sistema que pode ser aplicado como pintura e oferece algumas vantagens como elevada aderência, alto poder de cobertura e secagem rápida.
  4. Manta Asfáltica: é material pré fabricado feito sob medida. A aplicação é feita com calor para melhor aderência às superfícies. Suas vantagens é praticidade, facilidade de aplicação e elasticidade. Era o método de impermeabilização mais utilizado, porém com o surgimento de novos produtos que não necessitam de calor, vem perdendo liderança.
  5. Argamassa Polimérica: é constituída de cimento, agregados minerais e aditivos poliméricos acrílicos e, por ser bicomponente, mistura-se com a emulsão e, assim, pode ser feita a aplicação do produto. É indicado para impermeabilizações hidrostáticas de pressão positiva e negativa. Sua aplicação é feita a frio com o uso de rolos e telas de poliéster.
  6. Hidrofugantes: é um sistema muito versátil, que pode ser aplicado em diversos tipos de superfícies e, ao gerar uma tensão superficial da estrutura, quando em contato com a água, promove seu escoamento rapidamente. Eles diferem da maioria dos outros produtos impermeabilizantes por conta da sua capacidade de evitar a entrada de água nas estruturas além de impedir sua adesão, deixando a superfície completamente seca. Sua grande vantagem é o baixo custo e seu uso é indicado para concretos aparentes, tijolos aparentes e fachadas prediais com texturas ou revestimentos cerâmicos.

Portanto, conhecer os tipos de sistemas de impermeabilização influencia fortemente na escolha certa para então garantir o sucesso do projeto. Aqui, você tomou conhecimento dos principais deles e, agora, acertar na escolha do sistema para sua obra vai ser mais fácil! Mas, lembre-se sempre de contar com ajuda especializada no assunto, ok?

Onde aplicar impermeabilizante?

Já não temos dúvidas que a impermeabilização é um dos principais processos em uma construção e que deve ser executada com muita atenção para obter resultados eficientes. Mas, agora vamos entender onde o impermeabilizante pode ser aplicado. O leque de substratos que podem e devem receber os produtos impermeabilizantes é muito vasto, por isso vamos citar os principais deles e os que devem estar na lista de prioridades no planejamento da sua obra, ok?

Há alguns anos atrás, a impermeabilização era realizada apenas na parte externa das construções para que, assim, pudesse evitar que a estrutura sofresse com as intempéries, protegendo-a contra a ação nociva da água. Com o passar do tempo, viu-se a necessidade e a importância de aplicar impermeabilizante na parte interna das construções, o que garantia uma maior resistência e durabilidade de toda a estrutura, postergando ou até mesmo evitando o surgimento de manifestações patológicas.

Por isso, hoje, a impermeabilização na parte interna de uma edificação já é um fato incorporado e aceito pelo ramo da construção civil. E, obviamente, a melhor hora de realizá-la é durante a execução da obra, mas, caso você não tenha tido essa oportunidade, ainda é possível fazer!

Agora, vamos explicar onde deve ser aplicado o impermeabilizantes e, para começar, precisamos identificar o tipo de superfície que receberá o produto. Com isso em mãos, é possível traçar um projeto através dos processos que serão definidos a fim de garantir a eficiência do tratamento. Vamos elencar os principais tipos de superfícies que recebem impermeabilizante:

  • Baldrame: por ser a fundação de uma construção e possuir a função de proteger toda a estrutura contra os efeitos da umidade, é um dos principais pontos que deve receber um sistema impermeabilizante eficiente. Uma simples falha de impermeabilização nas vigas baldrame pode gerar problemas gravíssimos em toda a estrutura e na maioria das vezes não passíveis de serem solucionados.
  • Rodapé de parede: a umidade em rodapé ocorre por conta de infiltração da água por capilaridade vinda do solo, aparecendo manchas, bolhas na pintura, mofo e apodrecimento dos rodapés de madeira
  • Contrapiso: as infiltrações nos contrapisos se dão por pressão negativa, através da capilaridade da água e podem causar manchas e desplacamento dos pisos, por exemplo.
  • Fachada: a impermeabilização de fachadas além de garantir a estética da construção impecável, age no sentido de proteger a estrutura contra o surgimento de manifestações patológicas, que podem aparecer tanto na parte externa como interna do imóvel.
  • Laje: as lajes são áreas que ficam completamente expostas às intempéries, como as chuvas. Assim, devem ser impermeabilizadas para que a água não se infiltre na superfície, evitando goteiras e problemas na área interna do imóvel.
  • Banheiros: os banheiros ficam em contato constante com água e, por isso, deve-se dar atenção especial para essas áreas, pois a probabilidade de ocorrer algum tipo de dano é bem mais alta. Portanto, a impermeabilização em banheiros é fundamental.
  • Caixa d’água: assim como os banheiros, as caixas d'águas são áreas molhadas e, por estarem em contato direto e constante com a água, devem ser impermeabilizadas.
  • Piscina: as piscinas entram na mesma situação das caixas d’água e devem ser impermeabilizadas para que sejam evitados problemas maiores.
  • Muro de arrimo: os muros de arrimo desempenham papel fundamental para garantir a estabilidade de um maciço ou encosta e, portanto, devem ser impermeabilizados para que suas estruturas sejam preservadas para que possam evitar deslizamentos e desmoronamentos.

Estas são as principais áreas que devem receber impermeabilização, porém existem tantas outras que não citamos aqui. Por isso, você precisa avaliar cada superfície antes de traçar um projeto de execução que seja eficiente e traga segurança para sua obra, entendido?

Como escolher o impermeabilizante ideal?

Já respondemos essa pergunta ao longo do texto, mas insistimos em dizer que depende. Depende do material do substrato, o quanto a superfície fica em contato com a água e exposta a intempéries e outras características particulares de cada área.  Por isso, não podemos ser genéricos e dizer que se for tal superfície, utiliza-se tal produto. Considerar as especificidades de cada área é uma etapa importantíssima na elaboração de um projeto de impermeabilização e que, assim, poderá trazer bons resultados.

O que é um equipamento de impermeabilização?

Como já explicamos aqui, existem diversos tipos de sistemas impermeabilizantes e, claro, cada um deles exige um modo particular de aplicação, podendo ser utilizados diferentes equipamentos. O impermeabilizante pode requerer calor para aplicação ou pode ser aplicado a frio, portanto, os equipamentos utilizados durante o processo de aplicação vão desde brocha, pincel, rolo até maçarico.

Antes de separar os equipamentos que serão utilizados durante o processo de execução do projeto de impermeabilização, é necessário saber qual será o sistema adotado e qual material será necessário, certo?  

E, claro, não se deve esquecer dos EPI’s para os funcionários que forem executar o processo de impermeabilização para que sejam evitados acidentes!

O que as NBR’s 9575 e 9574 dizem sobre impermeabilização?

Sempre gostamos de ressaltar em todos os nossos artigos a importância de consultar as normas brasileiras antes de executar qualquer processo. Elas trazem orientações e são responsáveis por guiar qualquer procedimento para que o resultado seja o melhor possível! Por isso, recomendamos tê-las em mãos para nortear as decisões quando o assunto for execução de obras. E quando falamos em impermeabilização, não é diferente! Existem diversas normas sobre este assunto, mas as principais NBR’s sobre impermeabilização são a 9575 e 9574.

A NBR  9575 aborda o tema de seleção e projeto de impermeabilização, isto é, contém os tópicos que falam sobre definições, classificação, seleção e projeto. Pode parecer bastante genérico, mas são tópicos introdutórios e essenciais para que o projeto de impermeabilização e sua execução sejam eficientes. Portanto, saber conceitos pode fazer toda a diferença no resultado final! Então, não pule essa parte, hein?

Já a NBR 9475 fala sobre a execução da impermeabilização, isto é, trata dos diferentes tipos de sistemas de impermeabilização, como os rígidos e flexíveis, que falamos aqui também. Ela elenca todos os sistemas e detalha sobre os modos de aplicação de cada um deles. Assim, essa norma é fundamental que seja consultada antes de iniciar o processo de execução, pois ela dá o caminho de como fazer da maneira correta! Assim, fica muito mais difícil de errar, não é mesmo?

Cuidados com a impermeabilização

Para finalizar este longo artigo que trazemos hoje para você, vamos falar brevemente sobre os cuidados que devem ser tomados para que aumente a vida útil do impermeabilizante depois de aplicado.

Você sabe que não basta somente aplicar o impermeabilizante na superfície e só voltar a pensar nisso quando der algum problema, né? Você precisa entender que alguns cuidados devem ser tomados para que aumente a vida útil do produto e evite o surgimento de problemas! Por isso, em primeiro lugar, deve ser realizada manutenção periódica do impermeabilizante na superfície e em segundo lugar você precisa ficar atento caso ocorra alguma intercorrência que possa ferir a camada impermeabilizante.

Então, se fizer estas duas coisas, já garante uma maior durabilidade do sistema impermeabilizante e da estrutura como um todo, certo?

________________________________________________________________________

Bom, hoje fizemos um apanhado geral e tentamos falar um pouquinho sobre quase todos os temas que envolvem impermeabilização. Porém, como é um assunto muito vasto, existem muitos outros temas sobre o assunto que podem ser aprofundados. Mas, com esse conteúdo que fizemos para você, é possível ter uma noção sobre um assunto tão importante e que nem sempre é dada a devida relevância.

Por isso, temos a certeza de que se leu até aqui, está interessado em aprender e adquirir conhecimento para aplicar nas suas obras! E é isso que faz a diferença. A Blok acredita nisso e valoriza a importância do conhecimento na qualidade dos processos e resultados. Por isso, trazemos esse artigo para que você, assim como nós, possa agregar no mercado da construção civil! E, para isso, estamos sempre aqui: para contribuir com nosso conhecimento e experiência no ramo! A Blok está pronta para qualquer desafio, conte com a gente!

Entre para o time dos
melhores profissionais
da indústria da contrução civil
e mantenha-se sempre
informado sobre os maiores
avanços da sua profissão.