A importância da cura química para o concreto

Antonio Neves
Escrito por
Antonio Neves
Publicado em
4/7/2020
Atualizado em
20/4/2021
A importância da cura química para o concreto

O processo de cura do concreto é uma das fases mais significativas para a boa execução do piso ou da laje. A cura química para concreto é um procedimento feito por meio da aplicação de produtos químicos para impedir que a água do concreto evapore rapidamente, ao invés de ser consumida durante a cura do cimento.

O processo de cura química pode ser aplicado em pisos industriais, lajes de concreto nível zero, pré-fabricados em geral e pisos de estacionamentos em áreas abertas.

cura química para concreto
Blok Cure
Cura Química para Concreto
CONHEçA AGORA
Eflorescência: Saiba Tudo Sobre Essa Patologia
MATERIAL GRATUITO

Eflorescência: Saiba Tudo Sobre Essa Patologia

baixe grátis

A cura química proporciona melhor hidratação do cimento, aumenta a resistência da superfície e a durabilidade de pisos e lajes, além de evitar fissuras de retração plástica no concreto. Ademais, esse procedimento reduz a geração de pó após a finalização do piso, proporcionando uma superfície de concreto com uma maior resistência mecânica à abrasão.

Muito prático e com bom desempenho, esse procedimento é bastante utilizado em obras de grande porte, como barragens, rodovias e galpões industriais. O processo interfere, positivamente, nas propriedades, vida útil e durabilidade da estrutura de concreto.

Quer saber mais sobre o assunto? Acompanhe o artigo até o final e descubra como pode ser aplicada a cura química, assim como quais técnicas e produtos devem ser utilizados. Boa leitura!

Quais são as técnicas de cura para concreto?

Feita com cuidado e adequadamente, a cura de concreto pode aumentar em até trinta vezes a resistência da estrutura. Para ser eficiente, esse procedimento precisa ser feito em até doze horas a partir da aplicação do concreto fresco. Antes de realizar a cura química, é preciso analisar tecnicamente o processo construtivo, a velocidade de desforma e a resistência dos elementos pré-moldados.

Além dos fatores estruturais, o local onde será realizada a cura deve ser considerado na hora da escolha do critério a ser aplicado, pois ventos e baixas temperaturas podem influenciar e atrapalhar o processo.

A cura é muito fácil de ser realizada, mas é sempre fundamental ter o acompanhamento de um profissional da área. Existem algumas técnicas de aplicação desse procedimento, as quais você poderá conferir a seguir.

Cura úmida

É a maneira tradicional de se aplicar a técnica, mantendo a superfície com água para conservar a umidade desejada. Esse procedimento é o mais comum em obras para lajes de residências.

Uma câmara para desenvolvimento da cura possui equipamentos que nebulizam a água sobre os blocos de concreto. A manta geotêxtil também retém água e impede a evaporação, porém sede gradualmente a água necessária para a cura do concreto. A maior vantagem dessa manta é proporcionar a redução da frequência de molhagem da superfície.

Esses dois últimos processos são mais voltados para áreas maiores ou processos indutriais, pois o investimento inicial acaba sendo diluído ao longo do tempo da utilização ou na fabricação das peças.

Cura química

Nesse procedimento, aplica-se um filme sobre a superfície de concreto fresco para impedir a evaporação da água. Essa película é feita de parafinas, polímeros especiais, resinas acrílicas e ceras. A cura química tem vantagens financeiras e logísticas. Além de ser sustentável, a prática permite economizar na mão de obra para manter a superfície molhada na primeira semana.

A cura química é ideal para ser utilizada em produtos à base de cimento. Alguns exemplos são os pisos industriais, lajes, barragens, elevadas paredes de contenção e argamassas de revestimento de fachadas.

Cura térmica

A cura térmica acelera o processo de cura do concreto para obter resistência mecânica mínima em curto espaço de tempo. Nesses casos, as peças de concreto são submetidas a altas temperaturas em tempos programados. A cura térmica é bastante utilizada por empresas que operam com concreto pré-moldado.

A redução do tempo de cura do concreto nesse processo permite a utilização de fôrmas, equipamentos de cura e leitos de protensão. Além disso, as peças podem ser colocadas em serviço por um tempo menor que a cura tradicional.

Cura a vapor

A cura a vapor acontece com aplicação de UR (umidade relativa) e controle da temperatura para que fique acima da ambiente. Muito comum em ambientes frios, a técnica também pode ser utilizada quando se tem pressa para fazer a desforma. Usando técnicas de maturidade para obter resistências mais baixas, a cura a vapor foi muito usada na década de 70. Hoje em dia, raramente é aplicada.

Como aplicar a cura química para concreto?

O procedimento deve ser realizado durante as primeiras etapas de endurecimento do concreto e, dependendo da situação, pode ser feito de várias maneiras. Além disso, o custo também deve ser analisado. Com base nessas informações, um profissional especializado é capaz de determinar o melhor método de cura a ser empregado.

A cura química deve ser aplicada diretamente no concreto fresco, retardando a perda de água significativa até o endurecimento da superfície. O método forma um filme protetor sobre a região, evitando a evaporação da água e protegendo do acúmulo de pó e sujeira durante o processo de endurecimento do concreto. Essa película protetora superficial pode ser removida após 20 dias da aplicação.

Para potencializar a resistência e melhorar o acabamento, o Blok Cure é o melhor agente de cura química para concreto polido. Recomendado para pisos industriais, o produto retarda a eliminação de água e oferece alta durabilidade para o concreto. Pode ser aplicado em todos os tipo de concretagem horizontal.

Outra vantagem do Blok Cure é a sua capacidade de auto-extinguir, ou seja, ao final do processo de cura inicial do concreto, Blok Cure não deixará resíduos sobre a superfície, tornando mais prático o processo de limpeza e também não atrapalhando o acabamento posterior do concreto, como pintura ou assentamento de pisos.

O procedimento de cura química é de fácil aplicação e pode ser considerado um dos principais métodos. Garante ganho de resistência e vida útil mais longa para o concreto. Quando a peça elimina mais água que o necessário, pode acontecer um fator conhecido como retração do concreto.

A manifestação patológica mais comum de ocorrer nas construções é a retração plástica. Isso acontece quando a água é eliminada pouco antes de começar o endurecimento do concreto. Alguns fatores que levam à retração plástica são a exposição do concreto a ventos fortes ou calor excessivo e a baixa umidade relativa do ar. Esse fenômeno pode prejudicar toda a estrutura de uma construção.

A cura de concreto ainda não tem uma norma técnica específica publicada. Porém, o procedimento é citado e exigido pela ABNT NBR 14931, que define requisitos detalhados para a execução de obras de concreto. O produto utilizado para realizar a cura química deve estar em conformidade à norma ASTM C-309, que estabelece o nível máximo de evaporação e o período de tempo necessários.

Como vimos, o objetivo fundamental do processo de cura do concreto é evitar fissuras de retração e trincas proporcionando melhor resistência das estruturas. Ademais, o processo protege contra ataques de agentes externos e aumenta a vida útil do concreto. Além de melhorar o acabamento, a cura química para concreto aperfeiçoa a aparência das peças, deixando o acabamento ainda melhor.

Quer conhecer mais sobre essas técnicas? Aproveite a visita e saiba mais sobre os aditivos para a cura do concreto!

Entre para o time dos
melhores profissionais
da indústria da contrução civil
e mantenha-se sempre
informado sobre os maiores
avanços da sua profissão.