O guia completo para desmistificar os impermeabilizantes

Antonio Neves
Escrito por
Antonio Neves
Publicado em
26/2/2021
Atualizado em
20/4/2021
O guia completo para desmistificar os impermeabilizantes

É bastante intuitivo entender que os impermeabilizantes são os produtos concebidos para evitar que a água penetre na estrutura. Normalmente, a impermeabilização de uma estrutura é feita em várias camadas e estágios para criar várias barreiras, protegendo o conteúdo por baixo ou dentro e garantindo a integridade estrutural.

Mas, embora conceitualmente os impermeabilizantes sejam de fácil compreensão, na prática a história é outra. Segundo estudos, até 85% dos problemas encontrados em construções são originados por vazamentos e infiltrações – fruto de impermeabilizações malfeitas, desprovidas de manutenção ou até mesmo não existentes. Isto mostra a falta de entendimento geral a respeito do tema, o que gera um grande volume de problemas estruturais e resulta em muitos gastos com manutenção no futuro.

Seja pela complexidade do assunto ou pela falta de instrução quanto aos impermeabilizantes disponíveis no mercado, é inegável que este é um problema significativo nas construções atuais. Pensando nisso, preparamos este super artigo para desmistificar os impermeabilizantes e explicar a fundo o que você precisa saber sobre este assunto.

Confira a seguir!

impermeabilizante para pressão negativa
Blok EP 2
Resina Impermeabilizante para Pressão Negativa
CONHEçA AGORA
[Livro Gratuito] Impermeabilização Por Pressão Negativa e Positiva
MATERIAL GRATUITO

[Livro Gratuito] Impermeabilização Por Pressão Negativa e Positiva

baixe grátis

O que são os impermeabilizantes e por que impermeabilizar?

A NBR 9575 de 2003 define o sistema de impermeabilização como o “conjunto de produtos e serviços destinados a conferir estanqueidade a partes de uma construção”, sendo que a estanqueidade é a “propriedade de um elemento (ou de um conjunto de componentes) de impedir a penetração ou passagem de fluídos através de si”. Desta forma, a impermeabilização é o conjunto de operações e técnicas construtivas (serviços) que objetivam proteger as construções contra a ação deletéria de fluídos, vapores e umidade.

Os impermeabilizantes, portanto, são os produtos utilizados para atingir esta estanqueidade, sendo os definidores das operações e técnicas utilizados para a impermeabilização. Neste sentido, existem vários tipos de impermeabilizantes disponíveis no mercado para atender às mais diferentes necessidades de cada construção. Mas, antes de conhecer as alternativas existentes, primeiro precisamos entender as implicações da impermeabilização na construção e as diferentes solicitações que as estruturas podem apresentar.

As necessidades de impermeabilização na construção civil

Os impermeabilizantes podem ser aplicados para resolver diferentes solicitações de estanqueidade das construções. Existem várias categorias de umidade que podem atingir a edificação, sendo que cada uma age sobre diferentes elementos de acordo com o seu tipo de exposição. Por isso, é importante entender as principais necessidades de impermeabilização nos diversos componentes da estrutura, buscando atender a cada uma delas da maneira mais adequada. As principais solicitações de impermeabilização na construção civil são:

Água de percolação

A água de percolação na construção civil é a solicitação que vem da água da chuva ou de lavagens, por exemplo. Assim, os principais elementos que devem ser protegidos deste tipo de umidade são as paredes, coberturas e pisos, que estarão mais sujeitos ao contato com a água de percolação.

Água capilar

A água capilar é como é conhecida a umidade que vem do solo, que sobe pelos elementos da construção através da capilaridade. Desta forma, atinge diretamente as estruturas que estão em contato direto com o solo, como as próprias fundações, cortinas e pisos sobre o solo.

Água sob pressão

Chamamos de água sob pressão as situações em que existe uma quantidade significativa de água, fazendo com que o peso do próprio líquido exerça força contra os elementos que o sustentam. É o caso de reservatórios e piscinas, por exemplo, sendo que a força pode ser unilateral – vinda de apenas um dos lados da estrutura, ou bilateral – vinda dos dois lados do elemento.

Água de condensação

Por fim, a água de condensação é a que ocorre quando a umidade em forma de vapor se transforma novamente em líquido. Ou seja, é recorrente em estruturas expostas ao vapor, ao frio ou a ambientes muito úmidos.

Os tipos de impermeabilizantes

Os impermeabilizantes são divididos em duas categorias principais: rígidos e flexíveis. Esta separação é muito importante para entender quais as melhores alternativas em cada aplicação e, para isto, é necessário compreender o conceito de movimentação estrutural.

Toda construção está sujeita às movimentações estruturais – especialmente as movimentações de origem térmica. Os movimentos térmicos são causados pelas mudanças de temperatura a que a edificação está exposta: quando em contato com o calor, os materiais expandem e dilatam, enquanto no frio eles retraem. Isto gera uma alteração no volume, que cresce e diminui de acordo com o contexto.

Para montar uma estrutura, são combinados diversos materiais, cada qual com as suas características e propriedades específicos. Isto significa que cada um vai se comportar de uma maneira diferente frente ao calor e ao frio, sendo que alguns vão expandir e retrair mais, e outros menos. Como resultado, estas movimentações podem gerar trincas e fissuras nos encontros entre materiais, diminuindo a aderência e a integridade do conjunto.

Enquanto estas movimentações não são necessariamente um problema para outros aspectos da construção, o aparecimento de uma única fissura na impermeabilização pode comprometer a eficácia de todo o sistema – afinal, basta uma pequena fissura para que a umidade tenha uma porta de entrada para o interior da estrutura. Por isso, este conhecimento é fundamental na hora de escolher os seus impermeabilizantes entre as categorias:

Rígidos

Como o próprio nome já diz, os sistemas de impermeabilização rígidos são aqueles que não resistem à grandes movimentações. A principal característica deste tipo de impermeabilizante é a baixa capacidade de absorver deformações da base, principalmente quando se trata de deformações concentradas como fissuras e trincas.

Como os impermeabilizantes rígidos não acompanham as movimentações térmicas, pode ocorrer o surgimento de fissuras, o que leva ao aparecimento de falhas na impermeabilização por onde a água pode se infiltrar. Assim, são indicados somente para usos específicos, em locais com baixa ou nenhuma movimentação.

Na prática, isso se traduz em elementos com pouca exposição ao sol ou elementos enterrados, como fundações, subsolos, poços de elevador, vigas de baldrame e pisos em contato direto com o solo, por exemplo.

Flexíveis

Os sistemas flexíveis, por sua vez, são capazes de acompanhar melhor as contrações e dilatações térmicas que as estruturas estão sujeitas. A depender do sistema de impermeabilização, os impermeabilizantes flexíveis são capazes de suportar deformações da base com amplitudes variáveis – inclusive fissuras e trincas.

Na prática, os sistemas de impermeabilização flexíveis são os mais utilizados pela sua versatilidade e praticidade. Além disso, existem várias opções no momento de escolher o melhor para cada situação, o que facilita a preferência por este tipo de impermeabilizantes.

Normas técnicas para impermeabilização

Como todo procedimento construtivo, os sistemas de impermeabilização também são guiados por normativas desenvolvidas pela ABNT, ou Associação Brasileira de Normas Técnicas. Neste caso, as principais normas a serem seguidas são a NBR 9574: Execução de impermeabilização - Procedimento, e a NBR 9575: Impermeabilização – Seleção e projeto.

A NBR 9575 tem como foco a seleção do tipo adequado de impermeabilização a ser escolhido para cada obra. Ela estabelece os requisitos gerais de projeto, as características específicas e os detalhes construtivos a serem seguidos, assim como a classificação dos tipos de impermeabilização, os serviços auxiliares de impermeabilização e os serviços complementares de impermeabilização. Desta forma, esta é a norma básica para projetar um sistema de impermeabilização para a construção civil.

A NBR 9574, por sua vez, estabelece as exigências e recomendações relativas à execução de impermeabilização para que sejam atendidas as condições mínimas de proteção da construção contra a passagem de fluidos. Ou seja, ela foca na preocupação com que sejam realizados os procedimentos corretos de execução da impermeabilização de acordo com cada tipo, sejam eles rígidos ou flexíveis.

Além disso, ela cita condições de salubridade, segurança e conforto do usuário, buscando garantir a estanqueidade das partes construtivas. A norma se aplica a todas as edificações em geral, sejam elas construções em fase de execução ou prédios sujeitos a ampliações e reconstrução – assim como prédios submetidos a reformas ou reparos.

Principais manifestações patológicas de uma má impermeabilização

A infiltração de umidade na estrutura é a principal causa de diversas manifestações patológicas, especialmente quando se trata de concreto armado. Os principais problemas causados pela presença de água nos elementos da edificação são:

Manchas e bolhas na pintura

Os principais sinais de problemas causados por infiltração e umidade na pintura são o aparecimento de bolhas, manchas e descascamento da tinta. Apesar de serem problemas de fácil resolução com um descascamento e nova pintura, tendem a ser situações esteticamente bastante desagradáveis, além de indicar a possibilidade de existirem manifestações patológicas mais sérias pela presença de umidade na construção.

Descolamento de pisos e azulejos

A presença de água na estrutura da edificação também gera impactos negativos nos revestimentos com o descolamento das peças cerâmicas de pisos e azulejos. A umidade causa a perda de aderência da argamassa colante das peças, fazendo com que se descolem e fiquem sujeitas a fragmentação e quedas. Assim como no caso da pintura, este é um importante sinal de que podem existir problemas mais profundos na estrutura.

Crescimento de mofo ou bolor

Também conhecido como bolor, o mofo se refere a algumas espécies de fungo que crescem em lugares úmidos, se espalhando facilmente em estruturas que contam com a presença de água. Sua presença é muito recorrente em edificações com infiltração, especialmente em locais que possuem pouco contato com a luz do sol. Além de gerar manchas e estragar as superfícies, o bolor pode ser um perigo para a saúde dos ocupantes do edifício, sendo responsável por causar problemas respiratórios e alérgicos.

Danificação de móveis e objetos

Quando a umidade se espalha pelo piso ou paredes, ela pode se alastrar pelo interior dos ambientes e atingir até mesmo os móveis e objetos instalados no espaço. Quando em contato constante com a presença de água, as peças de madeira e mdf acabam por apodrecer e estragar, por exemplo, enquanto os estofados sofrem com manchas e com a deterioração da espuma e dos tecidos. Além disso, a presença de umidade facilita o desenvolvimento do mofo também nestes itens, o que pode acelerar a degradação e gerar ainda mais prejuízo.

Carbonatação e corrosão da armadura

A carbonatação é o processo que ocorre quando existe a presença de água no interior da estrutura de concreto armado. Com a penetração de ar nos poros do concreto, ou mesmo pelos espaços causados pelo processo de lixiviação, se existir umidade ocorre a reação do CO2 presente na atmosfera com os hidróxidos presentes no concreto. O resultado é a formação de carbonatos, o que causa a diminuição do pH do concreto e deixa as armaduras mais expostas, enfraquecendo a estrutura de forma geral.

Fissuras ou trincas

A infiltração de água na estrutura também pode causar o aparecimento de fissuras e trincas nas construções, que denunciam problemas mais sérios por trás das rachaduras. Neste caso, elas se tornam mais perigosas ainda, pois elas podem facilitar a passagem de umidade e acelerar a deterioração da edificação. Portanto, não devem ser ignoradas.

Eflorescências e lixiviação do concreto

As eflorescências são manifestações patológicas que ocorrem quando a água penetra pelo concreto e atinge a armadura de aço. O concreto é um material alcalino e, após a reação do cimento com a água durante o processo de cura, são formados vários sais – que, quando em contato com a umidade, reagem com a água e causam danos à armadura e à estabilidade do concreto. Estes danos são indicados pelo surgimento de eflorescências, normalmente da cor branca, que aparecem na superfície da estrutura. Este problema é muito comum em locais onde a água exerce pressão contra o concreto, penetrando pelos poros.

Exemplos de impermeabilizantes disponíveis no mercado

Impermeabilizantes os sistemas de impermeabilização rígidos são argamassas específicas ou aditivos para argamassas e concretos que diminuem a porosidade, conferindo maior impermeabilidade.

Impermeabilizantes rígidos

Os impermeabilizantes rígidos se resumem a argamassas específicas ou aditivos para argamassas que diminuem a porosidade. Ao reduzir os vazios entre os substratos da mistura, o produto final tem menor permeabilidade e é capaz de impedir a passagem de umidade. Os principais tipos de impermeabilizantes rígidos são:

Argamassa impermeável - aditivos hidrófugos

A argamassa impermeável é nada mais do que uma argamassa cimentícia tradicional com a aplicação de impermeabilizantes na mistura – neste caso, os aditivos hidrófugos. Tem preço bastante competitivo e é de fácil execução. Como um sistema de impermeabilização rígido, é indicado para aplicação em locais enterrados, muros de arrimo, poços de elevador e áreas com baixa movimentação térmica em geral, como vigas de baldrame e pisos em contato com o solo.

Argamassa polimérica

A argamassa polimérica é uma mistura de cimento, minerais ou agregados, e aditivos poliméricos acrílicos, formando um revestimento impermeável com alta resistência que tapa os poros do material a ser protegido. Tem bom custo-benefício e é indicada para aplicação em reservatórios enterrados, subsolos, poços de elevador, muro de arrimo, vigas baldrames, piscinas e paredes internas, assim como pisos frios, como em áreas de cozinhas e banheiros. Precisa de acabamento em forma de revestimento para garantir a proteção mecânica do impermeabilizante.

Cimentos cristalizantes

Da mesma forma, os cristalizantes são substâncias impermeabilizantes que são adicionadas à mistura do concreto. Este aditivo garante a impermeabilização do concreto através da formação de cristais insolúveis nos capilares, que se expandem quando em contato com a umidade. Desta forma, selam os poros do concreto e evitam a passagem da água, sendo indicados para fundações, piscinas, túneis e lajes de subsolo, entre outros.

Impermeabilizantes flexíveis

Os impermeabilizantes flexíveis atuam, de forma geral, como uma membrana de proteção, evitando assim a infiltração de água. Podem ser aplicados sozinhos ou com o reforço de materiais resistentes à tração. Os principais tipos de impermeabilizantes flexíveis são:

Membranas asfálticas e poliméricas

As membranas são camadas impermeabilizantes moldadas no local, podendo ser asfálticas ou poliméricas (elastoméricas, com o uso de neoprene ou hypalon, ou acrílicas). Alguns exemplos são a poliureia, que tem boa durabilidade, elasticidade e resistência mecânica e é indicada para ambientes bastante agressivos, e a emulsão acrílica, uma emulsão de compostos acrílicos termoplásticos com água utilizada em regiões de difícil acesso, porém não indicada para áreas com tráfego de pessoas e veículos.

Mantas asfálticas e poliméricas

As mantas são produtos pré-fabricados, que chegam prontos para montagem no local a ser impermeabilizado. A manta asfáltica um dos sistemas impermeabilizantes mais utilizados no Brasil, sendo que também podem ser poliméricas (elastoméricas, com EPDM ou butílicas, ou plásticas, com adição de PVC ou PEAD).

Este tipo de produto é indicado para áreas de grandes movimentações, como lajes, reservatórios, jardins, calhas e áreas frias em geral. No entanto, precisa de revestimento, para garantir a proteção mecânica e evitar avarias à manta.

Conheça os impermeabilizantes da Blok

A Blok possui os melhores produtos para impermeabilização, desenvolvidos com as tecnologias de maior desempenho para garantir a eficiência da sua obra. Aqui estão algumas das nossas opções de impermeabilizantes para você conhecer:

Linha Blok EP

O Blok EP é um revestimento impermeabilizante flexível para pressões hidrostáticas negativas, formulado a partir de aditivos minerais, modificadores reológicos e resinas acrílicas de ótimas propriedades impermeabilizantes, flexibilidade e aderência. Altamente recomendado para muros de arrimo, reservatórios de água potável, piscinas, pisos e paredes de áreas frias como banheiros, cozinhas e áreas de serviços, baldrames e alicerces, locais com batida de chuva e reboco. Conta ainda com o Blok EP 2, um produto de ampla aplicação indicado para baldrames e alicerces, locais com batida de chuva, rebocos, jardineiras e floreiras.

Linha Blok RF

O Blok RF é um revestimento impermeabilizante flexível para pressões hidrostáticas positivas, indicado para lajes, terraços, sacadas, muros de arrimo, reservatórios de água potável, piscinas, pisos, paredes, áreas molháveis, baldrames e alicerces, rebocos e locais com batida de chuva. Conta ainda com o Blok RSF, a versão semi flexível do produto.

Blok ST

O Blok ST é um revestimento impermeabilizante flexível para argamassa polimérica flexível estruturada, altamente recomendado para vedar e eliminar vazamentos e combater fortemente a umidade, como em áreas molháveis, laje, piscina, baldrame, alicerce, caixa d'água e reservatório. Na mesma linha, temos o Blok ST2, a versão semi flexível do produto, e o Blok STP e STP2, ideais para argamassa polimérica flexível estruturada para pressão negativa, em versão flexível e semi flexível.

BlokMassa

O BlokMassa é um aditivo impermeabilizante para reboco, assentamento e nivelamento que auxilia na impermeabilização ao bloquear o sistema capilar, permitindo trocas gasosas entre os materiais. É altamente recomendado para concretos e argamassas de reboco, assentamento e nivelamento.

BlokTume

O BlokTume é uma tinta asfáltica impermeabilizante ultra resistente composta de alta concentração de asfalto diluído, o que garante uma excelente cobertura na hora de aplicar sobre a superfície. É ideal para aplicações em baldrames, alicerces, fundações, contenções, estruturas metálicas não expostas às intempéries, estruturas de madeira não expostas às intempéries, ponte de aderência para aplicação de mantas asfálticas, primer para aplicação de mantas e fitas autoadesivas. É um monocomponente de elevada aderência, resistência química, poder de cobertura, impermeável e de secagem rápida.

Na mesma linha, contamos ainda com outros produtos. O BlokTume Frio é uma emulsão asfáltica para impermeabilização à base de água ultra resistente para aplicações em baldrames, alicerces, fundações, contenções, estruturas metálicas não expostas às intempéries, estruturas de madeira não expostas às intempéries, ponte de aderência para aplicação de mantas asfálticas, primer para aplicação de mantas e fitas autoadesivas.

O BlokTume Flex é uma tinta asfáltica elastomérica impermeabilizante e ultra resistente composta de alta concentração de asfalto diluído, o que garante uma excelente cobertura na hora de aplicar sobre a superfície. Garante uma perfeita emenda entre mantas asfálticas e impermeabilização de superfícies como lajes, banheiros, sacadas, varandas, cozinhas, áreas de serviços, alicerces, baldrames, muros de arrimo, drywall e superfícies de concreto em geral. Por fim, o BlokTume Flex AC é a versão à base de água deste produto.

BlokSeal Pisos

O BlokSeal Pisos é um hidrofugante de alto desempenho e que ao ser aplicado sobre pisos cria uma camada invisível de proteção que evita a infiltração da água.

BlokGesso

O BlokGesso busca promover a hidrofugação e o aumento da durabilidade do material quando exposto à umidade. Além do altíssimo rendimento, BlokGesso é um hidrofugante para gesso que garante uma performance incomparável a qualquer outro produto, ao proteger não só a superfície, mas toda a massa de gesso. Ideal para a produção de peças decorativas, placas de drywall, blocos de gesso hidro, GRGH, sancas, molduras, placas de gesso 3D, artefatos de gesso em geral e até mesmo para artesanato.

A Blok está sempre comprometida em entregar os melhores produtos para a sua obra. Visite nosso site e conheça todas as nossas soluções de impermeabilização!

Entre para o time dos
melhores profissionais
da indústria da contrução civil
e mantenha-se sempre
informado sobre os maiores
avanços da sua profissão.